Lesão na posterior da coxa: por que tão comum? - Dra. Ana Motta e Equipe

Siga-nos

Lesão na posterior da coxa: por que tão comum?

Podemos observar em jogos de futebol, principalmente, que diversos atletas saem contundidos e logo o narrador anuncia que foi uma fisgada na posterior da coxa. Mas por que isso é tão comum?

Essa lesão ocorre com muito mais frequência em esportes que exigem corrida como um dos fundamentos primordiais, além da mudança de movimentação constante e demais atividades como, por exemplo, chutar uma bola ou parar inesperadamente de correr, no caso do futebol.

lesão_coxa

Imagem: http://drluisfernandorialdias.com.br

A lesão na parte posterior da coxa ocorre principalmente pela sobrecarga muscular durante a movimentação – como um chute ou na hora da corrida – o músculo anterior da coxa (quadríceps) se contrai fortemente objetivando força, esticando o joelho e também o grupo posterior da coxa. Ocorre então uma contração excêntrica onde, por não resistir à força do quadríceps, a musculatura de isquiotibais (músculos da parte posterior da coxa) se rompe.

Fatores como a fadiga muscular, mau condicionamento físico, desequilíbrio muscular e falta de alongamento podem ocasionar tal problema.

Clinicamente pode ocorrer edema (inchaço) e hematomas (manchas roxas), caso de lesão extensa. Um diagnóstico rápido favorece a recuperação, que nos casos mais graves (grau III) varia de três a 12 semanas, caindo para 21 dias (grau II), ou até mesmo sem interromper atividades – desde que sob tratamento e observação médica.

Um dos modos de tratamento é através das Kinesio Taping, assunto que já foi abordado em outro blog que você pode conferir clicando aqui. Uma das medidas preventivas para essa lesão é a utilização de bandagem elástica – Kinesio Taping, assunto que já foi abordado em outro blog que você pode conferir clicando aqui.E é um dos serviços oferecidos pela Dra. Ana Lúcia Motta e Equipe. É importante ressaltar que outras medidas terapêuticas, também se tornam necessárias, como:

– Aquecer e alongar as pernas, antes e depois da atividade

– Fortalecer e alongar principalmente os músculos isquiotibiais, e também os adutores, abdutores, rotadores e o quadríceps

– Trabalhar a musculatura com exercícios de flexão de joelho (Leg curl), resistência com elástico, elevação de calcanhar e agachamento

– Dobrar os cuidados com alongamentos para aumentar elasticidade dos músculos no caso de tiros

Em linhas gerais, o maior sintoma desta lesão é uma forte dor na região posterior da coxa que impede a continuidade do atleta no esporte que estiver praticando. Por isso é comum vermos nas partidas de futebol os atletas que acabam tendo essa lesão sendo retirados de maca do campo, pois ela causa uma sensação de fraqueza intensa e dificulta a capacidade de movimentação.

Receba dicas e novidades para melhorar sua saúde

Assuntos relacionados